quinta-feira, 22 de setembro de 2011

(con)viver com paz+ciência


Oi gente... antes de qualquer coisa, perdão pela demora!!!

Prometo que não fico mais tanto tempo sem escrever... mas aconteceu tanta coisa nesses dias que foi impossível escrever!!!!
Deixando as desculpas de lado estou chegando com um texto não tão novo, pq ele já foi publicado por aki, mas eu dei uma reformulada para vocês, espero que gostem!!!
Olha que já tentei falar de outra coisa que não seja relacionamentos, mas tá ficando difícil...


E relacionamento é sempre algo que deixa a gente louco. (louco de amor ou louco de ódio...)
Tô mentindo?
Já dissemos eu te amo! Que maravilha, quantas pessoas tem a oportunidade de saberem-se amadas e terem alguém do seu lado que possa dizer isso e, é lógico, dizer a todos a mesma coisa.
Mas não basta só dizer eu te amo!!! (eu disse que tá ficando difícil)
A gente (além de querer a pessoa pronta!) quer a pessoa igualzinho a gente!
Se a gente diz eu te amo quando desliga o telefone, a pessoa tem que dizer também?
Se manda mensagem no celular 10 vezes por dia, a pessoa tem que responder as 10 vezes?
Do contrário é melhor nem escrever respondendo a décima porque a 11ª mensagem será uma bomba nuclear! Cuidado!!!
E os e-mails? Não respondeu? Mas como? Não teve tempo? O que custa parar 1 minutinho na frente do computador e enviar uma linha que seja? É definitivamente cruel.

Somos cruéis sim! E nem adianta balançar a cabeça de um lado pro outro quando lê o texto, porque a gente sempre espera que a pessoa (re)aja da mesma forma que (re)agimos.

Infelizmente nós esquecemos que não somos iguais. E ainda bem que não somos!
Somos seres ímpares e por diversos motivos tivemos experiências diferentes até chegarmos onde chegamos.
E se,mesmo depois de chegarmos onde estamos e, por uma dádiva, ou outra coisa que se possa atribuir o mérito, em determinada altura da vida encontramos uma pessoa que nos ama ao ponto de dizer EU TE AMO todos os dias, ainda agimos "exigindo" que a pessoa seja como nós: é melhor (re)pensarmos sobre nossas atitudes.
E isso vale pra ambas as partes, sem culpar nenhuma.
O sentimento de culpa não combina com o amor. 

O amor é ausência de culpa. Quem vive no amor não vive na culpa, pq o amor é sempre perdão! É sempre volta! É sempre vida! 

Antes, durante e depois de todas nossas atitudes com a pessoa amada, mas nesse caso específico de querer que “a outra pessoa” aja como nós agimos, a máxima para atingirmos, juntos, um equilíbrio no relacionamento é a paciência.

Paz+ciência – a união de duas coisas: PAZ (porque ninguém consegue fazer nada perturbado) e CIÊNCIA (porque ninguém consegue fazer nada sem pensar)
É somente pela paciência que a gente consegue entender o outro, esperar o outro, conviver com o outro.

Não que isso substitua o amor, pelo contrário, só consegue obter essa paciência necessária quem já vive o sentimento do amor verdadeiro, forte, intenso, gentil, sério, maduro.
Entender os motivos que levam o outro a agir “assim” ou “assado” faz parte do crescimento necessário dentro de uma relação.
Até porque viver na fase de “Alice no país das maravilhas” não dura a vida toda. Sempre chega a hora do “e o vento levou” ou então da “missão impossível” e por aí vai.

O que estou querendo dizer é que: estes momentos que nos cercam numa relação, de certa forma, são momentos-chave para entendermos o outro e a nós mesmos.
Refletir sobre nossas práticas e sobre as práticas do outro faz bem. Mas isso deve ser algo sereno, tranquilo.
Deve ser algo cheio de paz e ciência.
Estar com alguém e (com)viver com essa pessoa é uma tarefa árdua, pela diferença das duas pessoas, mas é uma tarefa feliz.

Amar é um desafio sim, porém mais que um desafio é uma aventura.
Uma incrível aventura.
Boa aventura pra todos nós!

Beijos e até a próxima!

Edson Flávio

4 comentários:

  1. Ahhh meu querido!! Como é bom ler seus textos cobertos de Verdade, Simplicidade e com uma Plenitude imensa, que me faz crescer e aprender muito... Acho que já disse isso prá ti, mas não vou cansar de dizer...Parabéns pelo seu DOM!! não é para qualquer um mesmo!!
    Beijo grande e Obrigada!
    Cé.

    ResponderExcluir
  2. Oie amigo, por fim venho apreciar teus belos textos, muito rico, digo, divino e maravilhoso, não seria diferente vindo de você, parabéns.Amar é realmente um desafio, concordo, e ser amado? Depende de quem? Ou do que?Considerando que um completa o outro, ou será que não necessariamente?
    Beijos com muita saudade.

    ResponderExcluir
  3. Edson aodrei o texto, muito bacana msm...Espero q poste mais logo log...Grande
    Abraço, fike com Deus.
    Denner Guilherme.

    ResponderExcluir
  4. Amigooooo! q texto lindo, só podia ser seu...
    relacionamentos são difíceis, não só no amor, mas em todas as esferas, pq as pessoas são diferentes, e por outro lado é essa diferença q torna tudo fascinante,sobretudo no amor... que com o tempo necessita de PAZ e CIÊNCIA (e como... )enfim, ótima tradução da vida a dois.
    Te amuuuu irmão!!!!! Feliz Aniversário (é amanhã) Saudadesssssss!!!!!!!

    ResponderExcluir