quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Felicidade necessária!

Olá meus queridos leitores!
Tudo bem?

Como é gostoso a gente ouvir das pessoas que elas estão bem. Estão tranqüilas. Estão felizes!
É isso mesmo que espero ouvir de cada um, pois está cada vez mais raro ouvir alguém dizer que está feliz ou que está bem.
Se ouvirmos a afirmação positiva, quase sempre, vem acompanhada por uma conjunção adversativa ou simplesmente colhemos a frase “Estou mais ou menos!” (Bom, penso cá com meus botões: ao menos uma parte está bem.)
Mas porque não se está bem de todo? Qual o nosso problema? Qual nossa insatisfação? Qual a nossa crise? Seria o homem da (pós)modernidade um ser infeliz? Qual nosso modelo de felicidade?
Queria muito, dileto receptor, ter as respostas. Mas creio que este texto não responde e, muito menos, tira-me de minha própria insônia nessa noite quente.
(Tomo mais um copo d’água e devoro numa só mordida o último bombom da caixa.)
Espero que minha saciedade e minha ansiedade possam me ajudar. Porém, algo contrário acontece, elas provocam-me porque não consigo ser sucinto o suficiente e, tampouco, criativo como das outras vezes (se é que o fui algum dia.)
E agora meu deus? Será que estou enfrentando uma crise de escrita? Será que não tenho mais aquela verve criativa das semanas passadas? Angustio-me na busca de(d)escrever a felicidade.
Declaro nesta madrugada quente: mesmo nessa solidão acompanhada, sinto-me feliz.

Posso não ter um texto que dê grandes explicações, mas tenho dentro de mim essa felicidade inquieta como a poesia que dança na copa das arvores de outono se preparando para o espetáculo vicejante da primavera.

Porque, queiram ou não, eu, assim como você, sou minha própria felicidade!
Não! Eu não posso esperar o outro para me fazer feliz! A felicidade do outro não me completa, não me preenche.
Podemos ser felizes juntos mas não posso esperar do outro oque é responsabilidade minha. Eu tenho que conseguir ser feliz com minhas próprias forcas, com meus gostos, com minha (in)consciência, na medida que eu consiga ser feliz.
Podemos somar felicidades! Mas nunca jogar no ombro dos outros esse fardo.
O esforço deverá ser só meu.
Tenho que ser feliz com minhas loucuras diárias, com minhas carências (des)medidas, com o muito ou com o pouco que conquistei.
Ser feliz não é estar safisfeito.
A paz não vem só da completude, até porque ninguém está completo sempre.
Mesmo por que, há também, grande felicidade na busca, no corre-corre, na (im)paciência e, de sobremaneira, na necessidade do algo mais.

E,principalmente, quando se quer, ser feliz cada vez mais e mais!

Depois de tudo isso, afetuoso interlocutor, desejo, um restinho de semana de muita busca e inquietação na procura dessa tal felicidade!

Beijos e até a próxima.

Edson Flávio

5 comentários:

  1. Amore! Até que enfim um texto seu! Lê-los me faz tão bem, sabia ? ... Então, mais uma vez você nos trouxe um texto INCRÍVEL, FANTÁSTICO, FABULOSO, sem dúvida nenhuma. Eu realmente precisava ler TUDO (isso mesmo!), absolutamente TUDO o que vc descreve neste texto. Como minha mãe diz: "Não existe 100% de FELICIDADE, temos sempre um "mas" a colocar depois de um 'tô bem sim!'" ... Temos que continuar tentando, algum dia a gente chega lá, nem que seja numa outra encarnação, mas aí é algo para um outro texto seu, né meu amigo ?! rs ... beijos, te admirando cada dia mais ! ♥

    ResponderExcluir
  2. Olá Flávio, o texto é realmente para se refletir, raramente ouço alguém dizer que está plenamente feliz ou satisfeito com tudo, já começa pelo tempo.. Se chove reclama, se faz sol reclama também. Responder às pessoas quando nos perguntam se está tudo bem já é praticamente automático, mas depois desse" tudo bem"! na maioria das vezes despejam as coisas negativas e nem sempre está "tão bem assim " acredito que seja a síndrome da vida moderna enfim vai saber neh? Aprendi a dizer que mesmo não estando bem fica melhor dizer que está.. acho que é verdade mesmo! pois coisas ruins atraem outras muitas vezes piores ainda, portanto comigo está tudo bem e ficará muito melhor! um grande abraço e obrigado pelo carinho de sempre!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Flavinho!!!!!!!!
    Penso que a felicidade tem muitas faces e muitas fases...e depende de momentos: nas faces, ela se apresenta real ou imaginária, ou utópica; nas fases ela é lunática, inconstante... Que bom que você a coloca com tanta simplicidade...assim fica mais fácil encontrar o caminho e chegar até ela. É como você diz no texto: a felicidade consiste também na busca. Mais uma vez, um texto para se pensar...pensar...pensar. maravilhoso!

    ResponderExcluir
  4. Oiê!!
    Nossa!! vc tm toda razão, as pessoas nunca estão feliiizes, sempre há o mas...
    Eu acredito que só o fato de estarmos vivos já é motivo de felicidade ...... quer coisa melhor do que viver, e viver com saúde?!?!?!

    Meu querido Edson, que texto Lindo!!!!
    Vou le-lo novamente ... AaAameeiii ...
    Bjs, meu querido...cuide-se!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Adorei seu texto. E realmente as pessoas não curte a felicidade. Ela é tão simples, singela e esta em cada novo amanhacer, em uma palavra de bom dia.

    ResponderExcluir