quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Suicídio

.

Eu não esqueci cada palavra.
Eu não deixei de acreditar em nada.

Você e sua fiel escudeira sempre sozinhos.

Agora, a você: só o meu desencantamento.

E ainda é muito para quem o silencio é uma armadura
vestida com bravura
mas que lhe faz perder a guerra.

Eu, vagando na noite fria do abandono.

Você, estragando, minuto após minuto, a minha poesia.

Não me deu a palavra certa.
Não me ofereceu a rima necessária.

Um dia acreditei que você era real.
Um sonho desleal que se sonha só.

Corri corrida vã.

Quero de volta o meu verso, o meu soneto.

Afaste-se com seu coração de gelo
Vou para longe do seu poço de vontades.

Não ouso amaldiçoar-lhe.

Não ouso tirar você de mim.

Num estampido o fim.

---------

2 comentários:

  1. Nossa, vc escreveu essa pra mim???? rsrs beijo amado, saudade! seus textos estão lindos!!!

    ResponderExcluir
  2. "o silêncio é uma armadura vestida com bravura..."Lindo texto!!! Sou sua fã!

    ResponderExcluir