quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Por um pouco de paz...

Um dia desses recebi um email de um amigo evangélico que num estado de indignação pedia que repassássemos uma corrente (span) como atitude de repulsa pelos atos governamentais que poderiam cercear o direito de culto e atividades das instituições religiosas.
Até aí um fato, tudo bem, tem o meu apoio, pois realmente espanta essas leis, que os homens (das leis), com tanta coisa pra se preocupar, preocupam-se com os que menos mal causam ao Brasil.

Mas eu discordei de uma coisa.

Ando um tanto quanto reflexivo, talvez efeito do mestrado... ou, seja mesmo a indignação diante de tanta barbárie diária, que tomamos como se fosse vacina, tentando nos curar com o próprio veneno, só que em doses homeopáticas.


De todas as propostas de leis descritas, uma desalojou o rabujento aqui...rss... Eles repudiaram a idéia de se ter o dia do orgulho gay.


QUAL O PROBLEMA DE Querer que o dia do 'Orgulho Gay' seja oficializado em todas as cidades brasileiras?

Sei de todos os dogmas,versículos bíblicos, que é isso, que é aquilo, mas as leis que o email defendia, são diretamente ligadas ao DIREITO DE CULTO (a lei se aplica a todas as igrejas e não somente aos evangélicos, atenção para isso, afim de que não se faça uma má interpretação da lei )

Entendo, e tenho muito claro também que, negar O DIREITO AO CULTO DOS EVANGÉLICOS é NEGAR O DIREITO EXPRESSAR SUA FÉ, SUA CRENÇA, correto?

Pois bem, então porque negar a minoria gay de ter um dia onde possam livremente EXPRESSAR NO ACREDITAM, NO QUE PENSAM?

E daí se incomodam?
Será que todos os vizinhos dos grandes templos evangélicos ou carismáticos gostam da gritaria? Do barulho? Do “movimento”? não viemos para agradar o mundo todo.
Nem o Filho de Deus agradou.


Indiferente da religião ou do discurso salvador do qual mundo judaico-cristão, neoliberal apresenta. Pergunto:

Não somos livres?
É proibido privar uma minoria de ter um dia só dela?
não existe um dia dedicado aos negros?
não existe um dia dedicado a luta campesina?
Não existe um dia da árvore? (nem sei pq dei esse exemplo...rss)
não existe um dia dedicado pra tanta coisa que a gente nem sabe que dia é esse?

Então, Com todo o carinho que tenho pelos meus irmãos evangélicos:
Lutem pelo dia do orgulho evangélico se esse for o caso, da luta evangélica sei lá, de algo que seja evangélico.
Mas negar a luta da minoria gay que tem seu modo próprio de se expressar é cercear muito a liberdade do outro.

Defender o direito ao culto de vcs como de qualquer religião, eu tb defendo.

Acho digna toda luta, desde que seja pela paz e pela liberdade dos seres, pois a Declaração Universal dos Direitos Humano é clara: nascemos livres e dignos de direitos.

Ela apenas impõe uma condição básica. Que para assegurar essa liberdade e esses direitos: nós, seres humanos, "Dotados de razão e de consciência" devemos "agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.”

Respeitar a diversidade é um princípio da fraternidade e da paz!

Beijos e até a próxima.

* texto postado novamente pois recebi o mesmo email e fiquei ainda mais indignado!

6 comentários:

  1. É isso ai... todos temos os mesmos deveres, logo eu quero também ser representado num dia especial dedicado a memória de nossa luta por visibilidade, respeito e principalmente, direitos iguais.

    Da mesma forma que a minha liberdade se esbarra na liberdade ou limite do outro, exijo o mesmo em relação a mim. Só assim podemos ter uma convivência pacifica dentro de uma diversidade social que existe e saiu do armário, da senzala, da oca, da zona ou da igreja... somos todos seres, ainda humanos.

    ResponderExcluir
  2. muito bem... palavras escrita com sentimentos! continue assim sempre com suas idéias e realmente precisamos de paz em todos os sentindos de nossa vida. bjs amo vc amor

    ResponderExcluir
  3. Eu também adorei o texto. Bacana. Bem escrito. E questionador. Serve para que nós reflitamos a respeito da nossa realidade. Mas acho que o Brasil só melhora quando todos, sem exceção, se unir. Quando um respeitar o outro e deixar essa mania de querer impor ao outro seus gostos artísticos, opção sexual, religião, time de futebol, política. Quando deixemos de julgar o outro. Creio que a partir do momento em que consigamos fazer tudo isso, melhoraremos nossa conduta aqui na terra.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Bom, sou evangélica, mas nunca fiz nenhuma discriminação quanto a qualquer escolha das pessoas porque as vejo como seres humanos, evito fazer estereótipos. Além que sou estudante de Direito e defendo SEMPRE a liberdade de expressão, gosto muito da frase de Voltaire "posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las", acredito e respeito a diversidade, não gosto de padrões, para mim cada um é um ser único e deve ser, antes de criticado, amado e respeitado.
    O respeito é devido a todos independentemente de concordamos ou não com as escolhas do outro.
    Assim, como evangélica exijo o respeito e devo, na mesma medida, respeitar aos outros.

    ResponderExcluir
  6. Perfeito ! Concordo com tudo o que escreveu. Um grande beijo. Fiquei meio off, mas nunca esqueço de ti. Parabéns por mais um texto excelente.

    ResponderExcluir