sábado, 17 de julho de 2010

APRENDER A AMAR - PARTE FINAL

Oi gente...um bom frio pra todo mundo!
Acho que nunca meu quarto ficou tão gelado. 13 graus! Oh my God!
Ainda bem que não é abaixo de zero..rss. Pras bandas de cá não estamos acostumados com essas temperaturas.
E por falar em frio, nese último texto da saga APRENDER A AMAR, vamos falar sobre o fim do amor.
Bem, nem sei direito e nem posso afirmar se realmente o amor acaba assim.
Sabe... igual quando acaba um doce, um sorvete, um pudim!
Acaba mas sempre deixa um gostinho de quero mais ou de nunca mais.
O amor, esse sentimento que nutriu nossos dias, meses, anos, muitos anos, pode um dia mesmo chegar ao fim?
Depois de minhas consultas... descobri que o amor acaba do jeito que veio... e, lembremos que ele não veio pronto!
Ele foi sendo feito com sangue, suor e lágrimas. E se desfaz seguindo os mesmos passos.
O amor, como tudo que nos rodeia e temos em nós, é uma construção.
Nós construímos e destruímos o amor. Aos poucos vamos demolindo a estrutura forte, ou não, onde habitávamos tranquilamente.
Somos nós os arquitetos de nossas vidas, sem dogmatismos religiosos, estou falando agora de pessoas que se amavam, desejavam-se e hoje não se importam mais uma com a outra.
Acabou o desejo de estar junto, de pensar em, a vontade de chegar do trabalho e cair nos braços amados e de noite dormir de “conchinha”!
Foi-se removendo pouco a pouco tudo que “construía” esse amor... É o fim da linha!
Eu pedia no texto anterior um amor inesgotável para cada um, e no fundo desejo isso mesmo, pra todos nós.
Por que precisamos de amor, precisamos de carinho, da companhia do outro, da presença, do toque, do abraço, do beijo, é nestas formas de expressão físicas que temos a manifestação tácita do amor.
Mas, infelizmente, o amor acaba devido a percursos mal feitos, palavras mal explicadas, “atos falhos” mal pensados, ou quando alguma coisa não saiu do jeito que a gente queria... ou ainda simplesmente mas não tão simples assim, muitos dizem ser este o maior motivo, o sentimento que parecia infinito deixou de existir.
A mãe de uma pessoa que amo muito disse que “o amor acaba sim, mas não acaba de uma vez” e eu concordo com ela, até porque o amor não nasceu de uma vez. Ele vai acabando aos poucos. Um pouco de cada vez, como uma vela que vai queimando, queimando, queimando... até extinguir-se...
Admirar a extinção de uma vela é triste. Chega a ser desesperador... parece que nos instantes finais aquele pavio ganha força, fica imponente, esforaçando-se pela existência... e vai diminuindo, diminuindo... até entregar-se. Primeiro um chiado e depois uma fumaça esmaecendo no nada, deixando apenas o odor de uma chama extinta.
É assim: o amor acaba, acaba aos poucos, mas não sai de nós.
Como uma marca indelével, ficam conosco todas as lembranças, boas e ruins desse amor, que nos servirão, talvez, para “construirmos” uma nova história.
Mas, um conselho: lugar de entulho é no lixo.
Se essas lembranças servem apenas para atrapalhar sua vida, jogue-as todas fora! Liberte-se. Livre-se da tristeza.
Abra-se ao novo, abra-se ao amor que vem! Seja feliz sempre!
Pois só consegue amar de verdade outra pessoa, quem consegue ser feliz sozinho, mas não quer ser feliz sozinho a vida toda!!!
Continuo desejando, para todos nós, um amor inesgotável... e se não for inesgotável...que seja como disse Vinícius de Moares... “eterno enquanto dure”!
Um enorme beijo a todos.
Até a próxima...espero que com menos frio.

Edson Flávio

10 comentários:

  1. Interessante, e é bem verdade: o amor acaba aos poucos, poucos...pouco...pouc...pou...pô!

    ResponderExcluir
  2. Eu cooooooooncordooo com tudo que escreveu rs...
    Saudades enormeeeeees!!!

    ResponderExcluir
  3. Flavio o texto é maravilhoso pois você conseguiu descrever de uma forma muito simples e verdadeira de como contruimos o amor e o destruimos. Um relacionamento entre duas pessoas sempre envolve admiração, carinho, respeito, lealdade e cumplicidade, e na minha opinião quando acaba um desses itens ou "tempero" começamos a nos perder no meio dele e aí quando notamos já nao estamos mais no meio, e sim fora dele. E ai vêm sempre a famosa pergunta.. Onde foi que eu errei? um grande abraço e obrigado pelo imenso carinho com que escreve..

    ResponderExcluir
  4. Perfeito ! Vc disse tudo ! És maravilhoso ! Te ADMIRO demais ... e espero q meu amor e meu carinho por vc SEJA inesgotável ... rs ... beijos ♥

    ResponderExcluir
  5. Acho que todos que lerem esse texto de alguma forma se identificará com ele, quem não construiu e viu um amor , ruir aos poucos, mesmo uma implosao é feita quando a construção já n oferece segurança, bjos, mil sou sua fã

    ResponderExcluir
  6. É isso aí, vivamos o paradoxo do amor.
    Juína, saudade. Professor.

    ResponderExcluir
  7. É meu amigo sua reflexão me fez pensar, e sua comparação da vela, me levou a visualizar a própria vida,pois realmente é assim que funciona, uma vela que vai queimando e aos poucos se extingue, mas por sorte podemos comprar pacotes com várias velas no amor, e realmente enquanto o amor não vem temos que preparar a nós mesmos para recebe -lo aprendi isso depois de queimar muitas velas, te adoro e seus textos e reflexões me fazem pensar além, não é a toa que vc é meu mestre, te amo... tenho deixado nossa vela, sempre bem cuidada cercada de lembranças e vontades de nos encontrar novamente...até já...

    ResponderExcluir
  8. Realmente amigo... Como o amor pode ser tão simples e tão complexo???
    E não acaba de uma vez, mas a ruptura, em si, é muito complicada e dolorida.
    E é estranho, em um dia amamos alguém e desejamos tudo de bom a ele, e dias depois não o suportamos.
    E então... acabou, "rápido" assim.
    Agora a parte mais díficil é se reestruturar, voltar a confiar em alguém, voltar a acreditar no amor, voltar a amar.
    Espero que eu possa alcançar isso: voltar a amar.
    Seus textos são maravilhosos e sempre me fazem refletir.
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Nossa Ed... Maravilhoso o texto... Nos faz refletir sobre o nosso histórico amoroso, de um jeito simples e gostoso... E automaticamente nos conduz à uma reflexão do que pode ser esse tão complexo sentimento que todos querem viver intensamente...

    Abraços.. Parabéns... Sucessos... Outros textos como esse farão sucesso e cairão na boca do povoooo... Bye Bye e até o próximo texto!!!

    ResponderExcluir
  10. Nossa!! simply perfect ...
    Edson, seus textos são maravilhosos. É de uma doçura, simplicidade, emoção, intensidade que faz com que nós, leitores assíduos, fiquemos ansiosos à espera do próximo texto.
    Menino!!!!!! sou su fã ....
    Parabéns !!! Bjs ..cuide-se!!
    Sucessooo .......
    S2

    ResponderExcluir