sábado, 5 de junho de 2010

Uma tarde fria em Cuiabá

(Falando francamente)
Temos ritmos diferentes.
Não queremos atropelar as coisas.
Você disse que não quer.
Eu também não quero atropelar.
Então...
Estive pensando sobre sexta a noite.
Querendo ou não a gente atropela as coisas.
Sem ser hipócrita, mas a gente se deixa levar por uma série de coisas: carência é uma delas.
Achei ótimo o que aconteceu e com quem aconteceu.
Mas poderia ter sido com uma pessoa que não fosse legal.
A impressão que tenho é que faço pelo avesso.
O começo suuuuuuuuuper intenso.
Depois vem a razão e a necessidade de se brecar as coisas.
Você não vê assim?
A gente se doa sem se conhecer.
Não to questionando...
Foi bom, mas é estranho.
Arruma-se intimidade onde ainda não existe.
A gente se encanta sem saber se o outro tem chulé ou mau hálito.
Se tem hábitos parecidos com os seus, essas coisas, etc.
Você se joga mais, mas a vida é aprendizado.
Eu sempre vivi solteiro.
Então não é novidade.
Eu gosto muito do frio.
Hoje em Cuiabá parecia uma tarde fria de Paris: céu cinza querendo se iluminar...
E no frio a gente fica mais bonito...
...

4 comentários:

  1. Escolhas.. sempre escolhas, mesmo quando vamos no impulso e esquecemos do restante são escolhas que tomamos. Algumas vezes se acerta. Em outras, fica a vontade de ser diferente

    ResponderExcluir
  2. Adorei!!!!! me fez lembrar uma situação que vivi recentemente.
    Vc sabe expressar em palavras os sentimentos!!!

    ResponderExcluir
  3. .. esta ai o por que do nome " armado de palavras " .. como postado no comentário acima tu sabe mesmo expressar sentimentos em palavras! mas uma tarde fria como paris em Cuibá?! essa é nova, mas pois bem .. um espumante sobre a sacada com vista para Eiffel, louco para ser degustado, mas enquanto isso alguém não esta e não esta ali...

    ResponderExcluir
  4. adoro frio... mais em companhia de alguém muito especial ficaria muito melhor... abraço

    ResponderExcluir