quarta-feira, 11 de agosto de 2010

MOSAICO

Não mais trair o meu instinto
É preciso ouvir a voz que vem de dentro
É preciso ceder ao tremor de minhas mãos

Ao fremor da alma

De tanto rabiscar juras de amor me esqueci como se escreve uma carta
Uma bela carta.
Daquelas cartas que já nascem com as lágrimas.
Sagradas.... remidas...quase santas.

Meu coração é um mosaico.
Cada dia uma parte nova.
Cada parte se reparte.
Um eu que vai, um eu que fica.
E de tantas chegadas e partidas meu coração virou porto.

Ora “porto solidão”, ora porto multidão.

Às vezes a saudade é a liga que sustenta tantas partes.
Outras vezes é o amor.
O mesmo amor que toca e toma minha loucura
E inventa este poema.

----
Este poema é um aperitivo pro próximo texto...

Beijos...e até a próxima...

Edson Flávio

8 comentários:

  1. Realmente profundo ... adorei ! Beijos, amigo queridooo ... seu fã, sempre ♥

    ResponderExcluir
  2. Usar o mosaico como metáfora deixou o texto bem interessante, acho k dá pra explorar mais vezes, belo texto!!!! é sempre um prazer lê-los, bjos!!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Flávio,

    Neste último final de semana liguei meu computador com o intuito de ler os teus textos e fiquei encantada com a sensilidade e a honestidade com que você escreve. Adorei a leitura! Você já está adicionado nos meus "favoritos". Parabéns. Beijos.

    Denize

    ResponderExcluir
  4. Oi Amigo e escritor predileto, ler o que escreve é sempre um prazer, pois como já cansei de dizer sabe muito bem como tocar seus leitores. Quero que meu coração continue sendo um porto porém bem diferente, a cada chegada tenha uma "fiscalização" rigorosa e só permita que atraquem as coisas boas e saida no meu "porto" não existirá.. Parabéns pelo presente de quarta feira .. grande abraço

    ResponderExcluir
  5. Hum...bacana!
    Vamos ver qual é o próximo texto!

    ResponderExcluir
  6. Adorei o aperitivo!

    Bjus

    ResponderExcluir
  7. Oi amado!!!!!!!!!!
    Gosto muito quando escreves em forma de poema...
    É uma característica da tua sensibilidade de poeta...as palavras soam redondas e caem em nosso coração como se fossem escritas para nós.
    Amei
    Neila

    ResponderExcluir
  8. Lindo texto Flávio. Me identifico demais com seus textos. Parabéns.

    ResponderExcluir